Chegou a vacina de Febre Amarela!

Febre Amarela: sintomas, tratamentos e causas

O surto de febre amarela voltou a preocupar os brasileiros, mas desta vez o vilão não é a dengue, zika e chikungunya, agora é a vez da febre amarela. Causada por um tipo de vírus conhecido como flavivírus, a febre amarela é uma doença infecciosa que possui dois tipos: a silvestre, transmitida pela picada do mosquito haemagogus ou sabethes, e a urbana transmitida pela picada do Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue.

Segundo a secretaria de Saúde do Distrito Federal não há motivo para pânico, mas é importante tomar pelo menos uma dose da vacina. Em período de férias por exemplo, para quem vai viajar para áreas com risco de febre amarela a recomendação é se imunizar com pelo menos dez dias de antecedência para que o organismo possa produzir anticorpos necessários.

Entenda mais sobre febre amarela e saiba como se proteger

Como a doença é transmitida?

Pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de uma pessoa infectada para outra. A febre amarela possui dois ciclos epidemiológicos diferentes de transmissão: silvestre e urbano. Nos dois casos, o vírus transmitido é o mesmo, assim como os sintomas da doença. O que difere um ciclo do outro é o mosquito transmissor. No ciclo silvestre da febre amarela, os macacos são os principais hospedeiros do vírus e os vetores são mosquitos com hábitos silvestres.

Quando um mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e também ao homem. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre pelo mosquito Aedes aegypti, comum nas cidades e que também transmite a dengue, o vírus zika e a chikungunya.

Conheça os sintomas da febre amarela?

Casos moderados provocam dor de cabeça, febre, náusea e vômitos. Em casos mais graves a febre amarela pode gerar problema cardíaco, renal e hepático fatal. Além disso, as pessoas afetadas podem ter dor local (no abdômen, costas ou músculos), no corpo (calafrios, fadiga, febre, mal-estar ou perda de apetite), náusea ou vômito, confusão mental, hemorragia ou icterícia.

Como é feito o tratamento?

Consiste basicamente em hidratação, pois não existem medicamentos específicos para combater a doença.

Febre amarela: quem pode tomar a vacina?

A vacina está indicada para crianças com mais de 9 meses e adultos com menos de 60 anos. Bebês de 9 meses podem tomar a primeira dose e um reforço aos 4 anos de idade. No caso de adultos, 2 doses, com intervalo de 10 anos, são suficientes para imunizar. As pessoas com mais de 60 anos podem receber a vacina, sob orientação médica. Se caso não se lembrar se tomou a vacina, pode tomar outra dose, desde que esteja no grupo recomendado e não tenha contraindicação.

Quem não pode tomar a vacina?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não recomenda a vacina para pessoas com doenças como lúpus, câncer e HIV, devido à baixa imunidade, nem para quem tem mais de 60 anos, grávidas e alérgicos à gelatina e ovo.

Como se prevenir?

A prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos se criam na água e se proliferam dentro das casas. Nesse sentido, qualquer recipiente, caixas d`água, latas e pneus com água são ambientes para que o mosquito ponha ovos, surgindo larvas, que após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos. Evitar o acúmulo de água parada em recipientes abertos. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de febre amarela ou dengue, deve-se fazer a aplicação de inseticida por meio de “fumacê”.

O uso de repelente, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual como a vacinação.

Onde se vacinar?

Nos postos de vacinação do estado e clínicas particulares, porém, em razão do surto repentino, pode acontecer de algumas clínicas e postos estarem sem a dose vacinal.


Fontes: Ministério da Saúde
Secretaria de Saúde do Distrito Federal