Bronquilite: saiba mais sobre essa doença e as novas estratégias de prevenção

A bronquiolite é uma condição respiratória comum, especialmente em lactentes e crianças pequenas. Aqui estão algumas informações importantes sobre a bronquiolite:

 

O que é a Bronquiolite:

A bronquiolite é uma inflamação dos bronquíolos, que são as pequenas vias respiratórias nos pulmões. Geralmente, é causada por uma infecção viral, com o vírus sincicial respiratório (VSR) sendo a causa mais comum.

 

Sintomas da Bronquiolite:

Os sintomas iniciais podem se assemelhar aos de um resfriado comum, como nariz escorrendo, tosse e febre leve. À medida que a doença progride, pode haver dificuldade respiratória, chiado no peito, respiração rápida e, em casos mais graves, cianose (coloração azulada da pele devido à falta de oxigênio).

 

Grupos de Risco:

Bebês e crianças pequenas, especialmente aquelas com menos de 6 meses e  pessoas com mais de 60 anos, são mais suscetíveis à bronquiolite. Prematuros, crianças com doenças cardíacas ou pulmonares subjacentes e aquelas com sistemas imunológicos enfraquecidos também estão em maior risco. De uma forma mais ampla, os grupos de risco são:

 

  • Bebês com menos de 6 meses de idade;

  • Prematuros;

  • Adultos com mais de 60 anos;

  • Pessoas com problemas cardíacos ou doença pulmonar crônica;

  • Pessoas com problemas no sistema imunológico.

 

Transmissão:

A bronquiolite é frequentemente transmitida por meio de gotículas respiratórias e contato próximo com uma pessoa infectada. É mais comum durante os meses de outono e inverno.

 

Incidência:

A incidência de casos de infecção por VRS é maior nos meses de outono, inverno e início da primavera, podendo causar uma epidemia nesses meses. Porém, também é possível que aconteçam surtos da doença em outras épocas do ano, principalmente em regiões de clima tropical, como o Brasil.

O período de maior circulação do vírus muda de acordo com as regiões do país:

  • Norte: fevereiro a junho

  • Nordeste: março a julho

  • Centro-oeste: março a julho

  • Sudeste: março a julho

  • Sul: abril a agosto

 

Tratamento:

Não há um tratamento específico para o vírus sincicial respiratório. Caso a pessoa apresente um quadro grave, é importante que ela seja hospitalizada para fazer a oxigenioterapia e outras medidas para melhorar os sintomas.

Na maior parte dos casos, as crianças costumam se recuperar em até sete dias, mas podem evoluir com quadros de broncoespasmos recorrentes por alguns anos após o episódio de bronquiolite.

Pessoas com cardiopatias e idosos podem apresentar quadros muito graves, com altas taxas de internação em UTI e necessidade de suporte ventilatório.

 

Prevenção:

A prevenção é essencial, especialmente em bebês de alto risco. Medidas como lavagem frequente das mãos, evitar o contato próximo com pessoas doentes, manter um ambiente limpo e evitar locais aglomerados e fechados, são medidas importantes.

 

Além disso, até meados de 2023, a única arma disponível para a prevenção era o anticorpo monoclonal Palivizumabe (Synagis – AstraZeneca), indicado para os bebês de risco, realizado 1 vez por mês, nos meses de outono e inverno.

 

Atualmente temos 3 avanços importantes para minimizar os danos provocados pelo VSR:.

 

  1. Um novo anticorpo, aprovado pela ANVISA em outubro de 2023, o nirsevimabe (Beyfortus – Sanofi Medley) e tem como principais vantagens, poder ser utilizado em todos os bebês, não só nos grupos de risco e uma dose apenas é eficaz para todo período de risco.

 

  1. A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA aprovou, em agosto de 2023, a primeira vacina que protege os recém-nascidos do vírus sincicial respiratório, (VSR). A vacina, produzida pela Pfizer, é administrada às mães no final da gravidez e oferece proteção aos bebês durante os primeiros seis meses de vida. No Brasil, essa vacina já está em processo de avaliação pela ANVISA e deve ser liberada em breve.

 

  1. Em dezembro deste ano, a Anvisa também aprovou o registro da vacina Arexvy – GlaxoSmith Kline. Trata-se da primeira vacina registrada no Brasil contra o vírus sincicial respiratório (VSR).  A vacina, aplicada de forma intramuscular em dose única e foi aprovada para uso em adultos com 60 anos de idade ou mais.

Se você suspeitar que alguém da sua família está com sintomas de  bronquiolite ou apresenta sintomas respiratórios graves, é fundamental procurar atendimento médico imediatamente para avaliação e orientação adequados. O acompanhamento com um profissional de saúde é crucial para monitorar a progressão da doença, especialmente em bebês, crianças pequenas e idosos..

Em breve enviaremos novidades sobre a disponibilidade da vacina no Brasil